Prefeita Sandra Cardoso presente na primeira sessão ordinária da Câmara de Vereadores

Texto e fotos: Ascom Floresta Azul

Apesar da eleição da nova mesa diretora ter acontecido em maio de 2014, tendo Gutemberg Cardoso Marciel (Guga) como novo presidente; Márcio Soares de Souza (Márcio de Congá), vice-presidente; Joesdras Nascimento Cardoso (Jorginho da Saúde), 1º Secretário e Pedro Álvares Pereira (Pedro da Sulba), 2º Secretário, a nova mesa só iniciou os trabalhos para o biênio 2015-16 na noite da última segunda-feira, 2 de março.

ver


A eleição na época foi antecipada seguindo a Lei Orgânica Municipal, Seção IV, Artº. 35, que permite antecipar a eleição no Legislativo Municipal para o segundo biênio pelo atual presidente e aprovação da maioria dos membros da Câmara.


A sessão ordinária contou com a presença de 7 dos 9 vereadores (a vereadora Irá e o vereador e vice-presidente da casa, Márcio Soares, não puderam se fazer presentes), além da prefeita de Floresta Azul Dra. Sandra Cardoso; a secretária de Assistência Social Eliana Alcântara; o secretário de Agricultura Valter Rubens Alcântara; o gerente de Infraestrutura Plínio Oliveira; o gerente de Esportes Valdemar Sodré; o administrador do distrito de Coquinhos Pedro Alberto; Alberto Carvalho, representando a Ceplac; o Capitão da PM Edmundo e o Tenente Mendes.


A prefeita Dra. Sandra lembrou que apesar da crise que se alastra por todo o Brasil, atingindo principalmente os municípios pequenos, a esperança é de um 2015 melhor e que o legislativo municipal possa andar junto ao executivo, buscando sempre o melhor para Floresta Azul. Dra. Sandra lembrou que o momento é de união e que espera que todos se unam pelo bem da cidade. A prefeita não pode deixar de lembrar das inúmeras dificuldades que o município vem passando com os constantes sequestros para pagamentos de precatórios e lembrou que uma cidade que vive em função do FPM não pode disponibilizar 10% de todo o recurso para pagamento de dívidas de outras administrações. Dra. Sandra falou com tristeza na dispensa de quase 100 contratados para equilibrar as contas e finalizou lembrando do aumento de 13% no salários dos professores, valor esse que não é repassado para o município. "Hoje, o que arrecadamos mal dá para pagar salários e as contas. A cada dia que passa fica mais difícil administrar pois nossa despesa é sempre maior que a receita", disse a prefeita.